EsCola BíBLica DoMinicAl

EsCola BíBLica DoMinicAl

domingo, 25 de dezembro de 2011

Peça de Natal = NASCIMENTO DE JESUS em duas versões

Autor: Jere Pakulski Panizzon

VERSÃO 1:

Personagens: Maria, José, Amiga, Pastor1, Pastor 2, Pastor 3, Anjo Gabriel, futura sogra e Pivete.
                       

(Maria se levanta e vai até o local onde dorme)
(Um anjo segurando uma luz entra no recinto e acorda Maria)

ANJO GABRIEL - Maria, serva fiel do Eterno e poderoso Deus, acorda...bendita és tu entre as mulheres.

(Maria acorda assustada)

MARIA – Oh, quem és tu?
ANJO GABRIEL - Sou o enviado do grande Deus para dar-te as boas novas.
MARIA – Glorificado seja Deus. Que boas novas são essas?
ANJO GABRIEL – Você foi escolhida para dar a luz ao filho de Deus. O messias...o tão esperado Salvador do seu povo.
MARIA – Glória a Deus...não creio ser digna de tal honra, anjo. Mas se o Deus que tudo sabe, tudo vê e tudo pode, me escolheu...eu aceito ser a mãe do filho de Deus.
ANJO GABRIEL – Você será tomada pelo Espírito de Deus e assim ficará grávida do Salvador.
MARIA- Que assim seja feita a vontade de Deus.

(Anjo Gabriel sai da sala e Maria torna a dormir...uma luz forte aparece e toma Maria que engravida)
(No dia seguinte, acendem-se as luzes. Maria enrola-se em um pano e escuta José batendo na porta)

JOSÉ – Oh, de casa...sou eu José...posso entrar?

MARIA: Olá, José. Como tens passado?
JOSÉ: Estou bem,obrigado. Eu vim para passar à tarde com você, minha querida noiva!
MARIA: Que agradável, mas José, temos que conversar.
JOSÉ: O que foi?
MARIA: Ontem, recebi a visita de um ser angelical?
JOSÉ: Minha mãe esteve aqui?
MARIA: José, não diga besteiras... eu sei que minha futura sogra é tudo de bom, uma mulher iluminada por Deus, mas não foi isso que quis dizer. Um anjo de Deus esteve em meu quarto e afirmou que terei um filho do poderoso Deus de Israel. Ele será o salvador do povo.
JOSÉ: O que? Que história é essa?
MARIA: Estou grávida de Deus. Não é maravilhoso?
JOSÉ – Estou decepcionado com você. Não acredito que tenha agido com tamanha leviandade. Eu sempre gostei muito de você e a respeitei, Maria...como pode?
MARIA –José, querido, estou assim pela bondade de Deus. Eis que minha prima Isabel era estéril e também está esperando um bebê.
JOSÉ –Tínhamos um contrato de casamento, Maria! Preciso pensar...

(Maria sai com expressão calma, pois sabia que Deus estava na direção de sua vida).
A Sogra entra e fala com José)

FUTURA SOGRA: Olá, meu querido...como você tá, meu amorzinho?
JOSÉ: Muito triste...minha noiva disse estar grávida e ela afirma que o filho que espera é de Deus.
FUTURA SOGRA: Que leviana! Eu sabia que ela não estava a sua altura...
JOSÉ: Mamãe, não diga isso!
FUTURA SOGRA: Sempre achei que você merecia uma mulher melhor...mas acho que seja impossível...afinal nenhuma esposa cuidará de você como eu cuido..mas essa Maria...francamente!
JOSÉ: Deixe me só...preciso refletir.
FUTURA SOGRA: Não há o que refletir...ela merece ser apedrejada na rua. Aí, como eu a desprezo!
JOSÉ: Mamãe, por favor!
FUTURA SOGRA: Está bem...descanse!
(José deita-se na cama de Maria e acaba adormecendo.)

ANJO GABRIEL– José...José...
JOSÉ – Quem está aí?

(José olha para o anjo e fica maravilhado.)

ANJO GABRIEL – O que aconteceu?
JOSÉ – Estou muito triste, minha noiva, Maria espera um bebê...vou desmanchar o noivado, pois não quero prejudicá-la.
ANJO GABRIEL– Não tema receber Maria por sua esposa, pois o bebê que ela carrega é o filho de Deus...o salvador.
JOSÉ – Sim, eu sei, mas...

(José, então, acredita e começa a chorar)

JOSÉ – Glória a Deus...louvado seja o seu nome...perdoe-me minha ignorância. Que seja feita a sua vontade.

(José torna a dormir)
(Anjo Gabriel sai)
(José sai da sala)
(Maria entra com um jarro e flores do campo nas mãos)
(A futura sogra aparece rindo com deboche)

FUTURA SOGRA: Olá...quer dizer que você está grávida?
MARIA: Sim, senhora! Estou grávida do filho de Deus.
FUTURA SOGRA: Olha Maria, serei bem sincera com você. Sou uma mulher muito espiritual. Sei que as palavras tem poder e nesse momento não sei o que pensar. Meu filho pode estar sendo enganado por você, mas também pode realmente ter sido Deus quem a engravidou, pois Ele nos prometeu um redendor. Só vim avisá-la que estarei lhe vigiando eternamente...se estiver enganando o meu filho... já sabe!
MARIA: Não estou...
FUTURA SOGRA: Está bem...quem não deve não teme.Esse olho é irmão desse!

(Futura sogra sai da sala. José entra)
JOSÉ – Querida Maria, estou com muita saudade de você e do filho de Deus, que agora será o nosso filho. Tive um sonho e nele um anjo apareceu e me falou que tudo o que me contou era verdade.
MARIA – Glória seja dada a Deus. Você foi escolhido por Deus para ser o pai adotivo do filho de Deus. Esse adorado bebê que carrego em meu ventre. O filho de Deus! O salvador.

(José sai da sala)
(Apaga as luzes)
(Ligam-se as luzes)

AMIGA – José! Oi, como você está vizinho?
JOSÉ – Estou bem, obrigado. E vc?
AMIGA – Tô bem, mas um pouco chateada
JOSÉ – Ué? Por quê?
AMIGA – É que o imperador Augusto publicou um decreto ordenando o censo de todo o império.
JOSÉ – Bah, mas porque tá chateada?
AMIGA – É que é meu marido precisará se registrar na terra onde nasceu...e ele nasceu muito longe daqui.
JOSÉ – Bah, eu sou descendente de Davi. Assim como minha esposa Maria. Portanto, terei que ir até Belém da Judéia para registrar minha família.
AMIGA - Mas a Maria está grávida...
JOSÉ – Pois é...
AMIGA – Olha só. Com licença...eu vou ter que ir ali comprar uns paninhos para mim...então fica na paz.
JOSÉ – Vai com Deus.

(Maria entra com as mãos sobre a barriga bem grande)

JOSÉ – Maria! Você já soube da lei do imperador?
MARIA – Acabei de saber por minha amiga na feira. Ela reuniu um grupo para espalhar a novidade. O que o senhor meu marido acha?
JOSÉ – Mas que fofoqueira. Temos que cumprir a lei de césar...essa é nossa obrigação, amada! Portanto, arrume-se e tão breve partiremos.

(Maria faz as trouxas e colocar em uma bolsa ao lado do burro que segue em direção a alistamento)
(Diminuem-se as luzes)

MARIA – Ai, José...nossa...eu estou muito cansada...e sinto umas coisas estranhas em minha barriga!
JOSÉ – O que sente, querida?
MARIA – Umas pontadas, mas acho que já passarão...estou no fim da gravidez... já aproxima-se a hora do parto. Do nascimento do filho de Deus! Sou tão grata a Deus por ter tido a oportunidade de carregar seu filho na barriga!
JOSÉ – Somos muito abençoados mesmo!

(José vai caminhando e dá a volta na Igreja. Quando chega próximo do púlpito ele bate em uma porta de uma casinha que poderia ser uma hospedaria)
(José bate na porta em um pivete segurando uma bebida atende mal humorado)

JOSÉ – Por favor...tem alguém aí?
PIVETE – O que foi? O que quer aqui? Não vê que está me atrapalhando.
JOSÉ – Minha esposa está no final da gravidez e precisamos de um lugar para ficar essa noite. O senhor tem um lugar para nós?
PIVETE – O cara...cai na real...por favor...não está vendo que estamos totalmente cheios...graças a essa bendita lei a cidade tá cheiona...duvido que ache um lugar para colocar esses seus ossos cansados e dessa tua senhora aí... sinto muito, cara... nem adianta bater...você deveria ser mais prudente...olha a barriga da sua mulher...agora some daqui...eu tô curtindo ao extremo essa fartura de cliente...

(O pivete fecha a porta e José lamenta)

JOSÉ – Oh, Senhor Deus...o que será de nós...sei que tudo pode...então direcione o meu caminho.
MARIA – José, vamos ao campo...talvez lá possamos nos abrigar.
JOSÉ – Você está certa Maria...Deus providenciará tudo para o seu filho.

(Maria e José chegam na estrebaria. Alguém arrumou toda a antiga sala em estrebaria)
(Maria continua em trabalho de parto)

JOSÉ – Veja, olhe esse lugar...vamos nos abrigar aqui.
MARIA – Sim querido. Preciso de deitar...ai, ai, ai!
JOSÉ – Acho que chegou a hora.
MARIA – Sim...me ajude a pôr no mundo o salvador.

(Maria grita de dor e José a ajuda no parto)
(Nasce Jesus)

JOSÉ – Veja, Maria...o salvador nasceu. Glória a ele.
MARIA – Bendito seja o Senhor Deus

(Maria se aproxima do bebê, arranca o cordão umbilical e o enrola em umas tirinhas... ela o coloca na manjedoura e o adora.)
(Uma estrela brilha no céu)
(Maria e José adoram a Jesus)

MARIA – Adorado...filho de Deus...você é tudo para mim...te amo
JOSÉ – Glórias ao filho de Deus...o maior de todos entre os homens...bendito seja...

(Nesse momento entram 3 pastores que viram a estrela)

JOSÉ- Quem são vocês?
PASTOR 1 – Viemos adorar o filho de Deus...nosso salvador...vimos a estrela e agora queremos adorá-lo!
PASTOR 2: Trouxemos pequenas lembraçinhas para o salvador.
JOSÉ: O que é?
PASTOR 3: . Ouro que representa a realeza. O incenso que representa a fé, pois o incenso é usado nos templos para simbolizar a oração que chega a Deus assim como a fumaça sobe ao céu e a mirra.
JOSÉ: Que maravilhoso! Como vocês se chamam?
PASTOR 1: Eu sou Melquior, ele é Baltasar
PASTOR 2: E eu sou Gaspar. Mas deixe-nos ver a criança...

(Todos adoram a Jesus)
(Coral entra cantando)



VERSÃO 2:

Peça de Natal= NASCIMENTO DE JESUS

Baseada na Bíblia Sagrada

Personagens = Maria, José, Pai, Mãe, Anjo Gabriel, Isabel, Amiga, Bebê (JESUS),Pivete, 3 pastores, Serafina, Roboão, Mulher e Idosa.
                       

 (Maria ajoelhada orando no meio do palco)

MARIA – Adorado Deus...mais uma noite está chegando. Sou eu...a sua serva Maria. Agradeço pelo lindo e abençoado dia que me deste...pelo seu amor e a sua bendida graça. Louvado seja o grande Deus de Israel...criador do céu e da terra. Protetor da sua nação, o povo hebreu. Deus maravilhoso, que salvou Daniel na cova dos leões. Protegeu a sua população e tornou Ester rainha. Deu um filho a Sara...e nos mantém vivos e protegidos ao longo dos anos. Glorifico o seu nome, óh Eterno Senhor Deus. Santo e perfeito...que todo o Seu desejo se cumpra em mim e no meu povo...

(Maria se levanta e vai até o local onde dorme)
(Um anjo segurando uma luz entra no recinto e acorda Maria)

ANJO GABRIEL - Maria, serva fiel do Eterno e poderoso Deus, acorda...bendita és tu entre as mulheres.

(Maria acorda assustada)

MARIA – Oh, quem és tu?
ANJO GABRIEL - Sou o enviado do grande Deus para dar-te as boas novas.
MARIA – Glorificado seja Deus. Que boas novas são essas?
ANJO GABRIEL – Você foi escolhida para dar a luz ao filho de Deus. O messias...o tão esperado Salvador do seu povo.
MARIA – Glória a Deus...não creio ser digna de tal honra, anjo. Mas se o Deus que tudo sabe, tudo vê e tudo pode, me escolheu...eu aceito ser a mãe do filho de Deus.
ANJO GABRIEL – Você será tomada pelo Espírito de Deus e assim ficará grávida do Salvador.
MARIA- Que assim seja feita a vontade de Deus.

(Anjo Gabriel sai da sala e Maria torna a dormir...uma luz forte aparece e toma Maria que engravida)
(No dia seguinte, acendem-se as luzes. Maria enrola-se em um pano. Maria vai falar com seu pai e conta o que acontecera.)
(Mãe de Maria está fazendo um pão numa tigela)

MÃE – Maria, querida! Venha me ajudar a fazer o pão. O dia está lindo!

(Maria abraça sua mãe com muita força)

MARIA – Minha amada mãe...estou demasiadamente contente!
MÃE- Filha, minha...qual o motivo desta euforia? Posso saber?
MARIA – Em breve saberá...por favor avise o senhor meu pai, que eu o espero no quarto.
MÃE – Sim, minha filha...mas estou curiosa!

(Maria sai e sua mãe chama o pai)

MÃE- Esposo, nossa filha Maria o espera para conversar no quarto
PAI – Obrigado. Mas o que ela quer?
MÃE – Não sei, senhor meu marido.

(Pai beija a testa da mãe...que sai da sala)

PAI – Bom dia, Maria...sua mãe disse que gostaria de falar comigo?
MARIA – Com licença, senhor pai.
PAI – Claro, Maria...diga o que lhe aflige?
MARIA – Durante a noite. Um anjo veio me dar uma boa nova. Que eu fui escolhida entre as mulheres do nosso povo para ser a mãe do filho de Deus.
PAI – Como é possível? Ele será o rei de Israel...deveria nascer num castelo repleto de ouro.
MARIA – Com todo o respeito, quem somos nós para julgar a vontade do Senhor Deus...Ele sabe o que é certo, Ele sabe o que é perfeito, Ele sabe o que é maravilhoso...e se assim Ele o quis...que assim seja feito.
PAI – Tem razão filha...adorado esse bebê...que abençoado é o povo hebreu por receber o seu rei e salvador.

(Pai põe a mão sobre o ventre de Maria e escuta-se um bater na porta. Era José, noivo de Maria)
(Só a voz de José aparece)

JOSÉ – Oh, de casa...sou eu José...posso entrar?

MARIA – Papai, o senhor precisa contar o que me aconteceu a meu noivo José. Vou sair e deixarei que contes a ele, o que me aconteceu.
PAI – Assim o farei filha.

(Maria sai da sala e José entra sem encontrá-la)

PAI – Bom dia, José. Como tem passado?
JOSÉ – Bem, obrigado. Posso falar com a minha noiva Maria?
PAI – Pode, mas primeiramente...sente-se, José. Precisamos conversar... você aceita uma bebida?
JOSÉ – Aceito sim. Podemos conversar futuro sogro. O que deseja?

(Pai grita)

PAI – Mulher...traga uma bebida para mim e meu genro!

(Mãe entra e serve uma bebida. Pai torna a falar calmamente.)

PAI – Durante a noite, um anjo veio trazendo uma mensagem a Maria.
JOSÉ – Bah!
PAI- Pois é...isto é extraordinário.
JOSÉ - Eu não entendo...mas que mensagem é essa?
PAI – Maria, dará a luz ao salvador do nosso povo. Maria está esperando um filho
JOSÉ – Não é possível!
PAI – Sim, acredite. É uma grande bênção a chegada do Salvador!

(José levanta-se. Entra Maria.)

JOSÉ – Estou decepcionado com você. Não acredito que tenha agido com tamanha leviandade. Eu sempre gostei muito de você e a respeitei, Maria...como pode?
MARIA –José, querido, estou assim pela bondade de Deus. Eis que minha prima Isabel era estéril e também está esperando um bebê.
JOSÉ –Tínhamos um contrato de casamento, Maria! Preciso pensar...

(Maria e o pai saem. Maria sai com expressão calma, pois sabia que Deus estava na direção de sua vida).
(José deita-se na cama de Maria e acaba adormecendo.)

ANJO GABRIEL– José...José...
JOSÉ – Quem está aí?

(José olha para o anjo e fica maravilhado.)

ANJO GABRIEL – O que aconteceu?
JOSÉ – Estou muito triste, minha noiva, Maria espera um bebê...vou desmanchar o noivado, pois não quero prejudicá-la.
ANJO GABRIEL– Não tema receber Maria por sua esposa, pois o bebê que ela carrega é o filho de Deus...o salvador.
JOSÉ – Sim, eu sei, mas...

(José, então, acredita e começa a chorar)

JOSÉ – Glória a Deus...louvado seja o seu nome...perdoe-me minha ignorância. Que seja feita a sua vontade.

(José torna a dormir)
(Anjo Gabriel sai)
(José sai da sala)
(Maria entra com um jarro e flores do campo nas mãos)
(Uma idosa aparece na janela)

IDOSA – Olá, minha filha...que dia lindo está fazendo!
MARIA – É verdade, minha querida! Como a senhora está?
IDOSA – Estou levando, minha filha...estou com muitas dores nas pernas, e com muita saudade do falecido!
MARIA- É verdade...ele deixou saudade...
IDOSA – Sim...

(Idosa em lágrimas)

MARIA – E essas dores nas pernas?
IDOSA –Estão me levando a loucura...quase não posso andar...mas pobre tem que se virar, né...

(Mulher entra)
MULHER- Boa tarde!
IDOSA e MARIA – Boa tarde!
MARIA – Está superando a perda de seu filho?
MULHER – Estou conformada, mas ainda estou muito abalada com a morte de meu filho primogênito. A morte é sempre algo forte.
IDOSA – Eu que o diga, minha filha...essa morte também de deixou impactada.
MULHER – Mas preciso continuar levando a vida. Com certeza ele está em melhor que nós ao lado de Deus.
MARIA – Sim, tudo o que Deus faz é perfeito e maravilhoso.
IDOSA – Sim...mas é difícil suportar a perda...choro dia e noite pelo falecido. Você ainda é nova, pode ter muitos mais filhos. Eu estou toda torta de tantas dores. Olhe, veja a minha perna...está totalmente travada... preciso ser carregada para o quarto todas as noites.
MULHER – Bah...essas dores não passam, né? Você se queixa dia e noite.
IDOSA – Sim...são terríveis...mas não é tudo...olhe os meus dedos
MULHER – Nossa, estão inchados.
IDOSA – Não quero me queixar, por isso eu vou indo...fiquem com Deus!
MARIA – Obrigada. E a senhora vá com Ele...

(Mulher fala com Maria logo após a idosa sair)

MULHER – Essa senhora passa o dia se queixando...é duro aguentá-la. Nem respeita a minha dor de mãe...eu tenho pena, mas para que vir sempre me falando dessas pernas.
MARIA – É que ela sofreu muito na vida.
MULHER – Sim, eu sei...tomara que nos seus últimos dias de vida ela consiga ser feliz.
MARIA – Sim...bem eu preciso ir...fique com Deus
MULHER – Até breve.

(José entra na casa de Maria)

JOSÉ – Querida Maria, estou com muita saudade de você e do filho de Deus, que agora será o nosso filho. Tive um sonho e nele um anjo apareceu e me falou que tudo o que me contou era verdade.
MARIA – Glória seja dada a Deus. Você foi escolhido por Deus para ser o pai adotivo do filho de Deus. Esse adorado bebê que carrego em meu ventre. O filho de Deus! O salvador.

(José sai da sala)
(Apaga as luzes)
(Ligam-se as luzes)
(Maria sozinha fala)

MARIA – Preciso visitar minha prima Isabel que acaba de chegar.

(Isabel se encontra com Maria no caminho)
(Isabel com uma barriga bem grande de 6 meses)
(Isabel é tomada pelo Espírito Santo e o bebê em sua barriga reconhece a Jesus)
(Isabel põe a mão na barriga)

ISABEL – Meu Deus, meu filho está reconhecendo o salvador...estou tomada pela graça de Deus e pelo Espírito Santo.
MARIA – Prima, querida.
ISABEL – OH, bendita entre as mulheres. Carrega no ventre o filho do grande Deus.
MARIA – Sou apenas uma serva do Senhor...o bebê sim é digno de adoração...eu não.
ISABEL – Eu sei disso, querida. Talvez tenha me expressado mal.
MARIA – Tudo bem, me dê um abraço.
ISABEL – Obrigada. Vamos dar uma caminhada pelo comércio para ver se encontramos alguns minos para os nossa bebês?
MARIA – Sim, querida. Vamos

(Isabel abraça Maria a juntas saem da sala)
(José entra pela outra porta e senta-se na cadeira)

AMIGA – José! Oi, como você está vizinho?
JOSÉ – Estou bem, obrigado. E vc?
AMIGA – Tô bem, mas um pouco chateada
JOSÉ – Ué? Por quê?
AMIGA – É que o imperador Augusto publicou um decreto ordenando o censo de todo o império.
JOSÉ – Bah, mas porque tá chateada?
AMIGA – É que é meu marido precisará se registrar na terra onde nasceu...e ele nasceu muito longe daqui.
JOSÉ – Bah, eu sou descendente de Davi. Assim como minha esposa Maria. Portanto terei que ir até Belém da Judéia para registrar minha família.
AMIGA - Mas a Maria está grávida...
JOSÉ – Pois é...
AMIGA – Olha só. Com licença...eu vou ter que ir ali comprar uns paninhos para mim...então fica na paz.
JOSÉ – Vai com Deus.

(Maria entra com as mãos sobre a barriga bem grande)

JOSÉ – Maria! Você já soube da lei do imperador?
MARIA – Acabei de saber por minha amiga na feira. O que o senhor meu marido acha?
JOSÉ – Temos que cumprir a lei de césar...essa é nossa obrigação, amada! Portanto, arrume-se e tão breve partiremos.

(Maria faz as trouxas e colocar em uma bolsa ao lado do burro que segue em direção a alistamento)
(Diminuem-se as luzes)

MARIA – Ai, José...nossa...eu estou muito cansada...e sinto umas coisas estranhas em minha barriga!
JOSÉ – O que sente, querida?
MARIA – Umas pontadas, mas acho que já passarão...estou no fim da gravidez... já aproxima-se a hora do parto. Do nascimento do filho de Deus! Sou tão grata a Deus por ter tido a oportunidade de carregar seu filho na barriga!
JOSÉ – Somos muito abençoados mesmo!

(José vai caminhando e dá a volta na Igreja. Quando chega próximo do púlpito ele bate em uma porta de uma casinha que poderia ser uma hospedaria)
(José bate na porta em um pivete segurando uma bebida atende mal humorado)

JOSÉ – Por favor...tem alguém aí?
PIVETE – O que foi? O que quer aqui? Não vê que está me atrapalhando.
JOSÉ – Minha esposa está no final da gravidez e precisamos de um lugar para ficar essa noite. O senhor tem um lugar para nós?
PIVETE – O cara...cai na real...por favor...não está vendo que estamos totalmente cheios...graças a essa bendita lei a cidade tá cheiona...duvido que ache um lugar para colocar esses seus ossos cansados e dessa tua senhora aí... sinto muito, cara... nem adianta bater...você deveria ser mais prudente...olha a barriga da sua mulher...agora some daqui...eu tô curtindo ao extremo essa fartura de cliente...

(O pivete fecha a porta e José lamenta)

JOSÉ – Oh, Senhor Deus...o que será de nós...sei que tudo pode...então direcione o meu caminho.

(Um casal sai da hospedagem. Serafina sai rindo escandalosamente)

ROBOÃO – Chega Serafina! Olhe ali...há um casal chorando...vamos até eles perguntar o motivo da lamentação.

(Caminham até José e Maria)

ROBOÃO – O que aconteceu?
JOSÉ – Estamos sem hospedagem...e minha esposa está bem no final da gestação.
ROBOÃO – Nossa...hoje pela manhã estávamos na mesma situação que vocês...mas O grande Deus nos abriu uma porta...nessa hospedagem...mas os donos são bem pouco qualificados...você reparou no jeito que ele estavam falando? Mas é por apenas alguns dias.
SERAFINA – Essa mulher tem um barrigão, será que não são gêmeos?Onde vocês vão passar a noite?
JOSÉ – O Senhor irá suprir todas as nossas necessidades...
SERAFINA – Com certeza...cara...bem...eu e o meu marido Roboão vamos dar um passeio...somos recém casados...uhu!! Temos muito que curtir...a noite é uma criança...Fiquem com Deus.

( Serafina e Roboão saem da sala)

MARIA – José, vamos ao campo...talvez lá possamos nos abrigar.
JOSÉ – Você está certa Maria...Deus providenciará tudo para o seu filho.

(Maria e José chegam na estrebaria. Alguém arrumou toda a antiga sala em estrebaria)
(Maria continua em trabalho de parto)

JOSÉ – Veja, olhe esse lugar...vamos nos abrigar aqui.
MARIA – Sim querido. Preciso de deitar...ai, ai, ai!
JOSÉ – Acho que chegou a hora.
MARIA – Sim...me ajude a pôr no mundo o salvador.

(Maria grita de dor e José a ajuda no parto)
(Nasce Jesus)

JOSÉ – Veja, Maria...o salvador nasceu. Glória a ele.
MARIA – Bendito seja o Senhor Deus

(Maria se aproxima do bebê, arranca o cordão umbilical e o enrola em umas tirinhas... ela o coloca na manjedoura e o adora.)
(Uma estrela brilha no céu)
(Maria e José adoram a Jesus)

MARIA – Adorado...filho de Deus...você é tudo para mim...te amo
JOSÉ – Glórias ao filho de Deus...o maior de todos entre os homens...bendito seja...

(Nesse momento entram 3 pastores que viram a estrela)

JOSÉ- Quem são vocês?
PASTORES – Viemos adorar o filho de Deus...nosso salvador...vimos a estrela e agora queremos adorá-lo!

(Todos adoram a Jesus)
(Coral entra cantando)



quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Aniversário do Coral Adoração e Louvor


Louvai ao SENHOR. Louvai o nome do SENHOR; louvai-o, servos do SENHOR.
Vós que assistis na casa do SENHOR, nos átrios da casa do nosso Deus.
Louvai ao SENHOR, porque o SENHOR é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável. 

Salmos 135:1-3


 Todo o grupo de Jovens
 Soprano

 Músicos
 Contralto
 Dirigente Enéias Trindade
 Baritono
Tenor

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Deus das impossibilidades

Por:  Débora Keizy Domingues Roland

   Às vezes reclamamos e até mesmo por falta de prudência...murmuramos quando passamos por situações difíceis e tribulações. Mas se parássemos um pouquinho para pensar e lêssemos mais a Bíblia, notaríamos que Deus sempre agiu nos momentos mais difíceis da vida dos grandes homens de Deus! Deus só entra em ação quando não há mais solução. Ele só age quando chegamos no nosso limite, quando o difícil começa se tornar impossível!
   Deus não livrou Daniel da cova dos leões! Deus livrou Daniel NA cova dos leões,e num momento difícil, num momento em que Daniel estava na companhia de enormes leões famintos, mas Deus não permitiu que os leões sequer tocassem em Daniel! (Daniel 6:22a)
    Isso é sobrenatural!
   Mais um exemplo que mostra que nosso Deus é Deus das Impossibilidades é que Deus não abriu o mar numa tarde tranquila com o povo de Israel tomando banho de sol na beira do mar vermelho, mas Ele abriu num momento em que o povo de Israel estava em desespero, num momento em que parecia não ter saída para eles, pois se avançassem, morreriam, e se recuassem, encontrariam os egípcios e a morte ou a escravidão seriam certas! Mas quando eles pensaram que era o fim, Deus abriu o mar vermelho e o povo de Israel adorou ao Senhor! Realmente, Deus é especialista em fazer o impossível acontecer! Ele sempre tem o milagre certo para o momento certo. Ele age muito além do que podemos imaginar e faz por nós até mesmo coisas que jamais pensamos merecer.



"Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor;
planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança."

(Jeremias 29:11)


Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar 
com a glória que em nós há de ser revelada. 

(Romanos 8:18)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A mulher cristã e o mercado de trabalho

Por: Gabriela Schuch - Jornalista – Mtb 15.821
Contato: gabriela_schuch@yahoo.com.br


Casamento, filhos, vida pessoal e a satisfação profissional. Cada vez mais a mulher luta para garantir um espaço na sociedade. E em meio a tais mudanças de posicionamento e comportamento, como se comporta a mulher cristã?
Na sociedade atual, vem se criando uma tendência onde os papéis de homem e mulher – em relação às atividades exercidas – têm se confundido. Para algumas mulheres cristãs, o maior desafio nesse período de modernidade consiste na orientação pastoral no que se refere à submissão. Na realidade, submissão é estar sob a direção de alguém em determinada situação. A família é um grupo social e precisa ter um líder.
Quando espiritualmente é entendido que a mulher com atividades fora de casa, não retira a autoridade outorgada por Deus ao varão da casa, é preciso pensar um pouco mais além: como honrar ao Senhor com seu trabalho?
A resposta não consiste somente apenas “com os dízimos e as ofertas”, mas também com a escolha do ofício. Para o cristão (homem e mulher) o melhor trabalho é aquele que tem a aprovação de Deus e gera oportunidades de testemunho. Em Mateus capítulo 6 versículo 33 nos é ensinado que devemos buscar primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas as coisas nos serão acrescentadas.
Encontrado seu ofício, será preciso conciliar carreira e vida doméstica. Assim como nosso Deus não é de confusão, planejar a rotina é fundamental.
Se por algum motivo se sente cansada lembre-se que tudo você pode em Cristo que lhe fortalece. Por fim, nunca se esqueça que o lugar onde Deus lhe levantou foi para ser sal e luz. Ilumine seu ambiente de trabalho e seja exemplo para as vidas que lhe cercam na carreira. Com certeza o Senhor se agradará muito de você.

domingo, 30 de outubro de 2011

Eventos de outubro


Fotos da confraternização dos jovens:
Professores: Jere e Neuza





Dia das crianças na Igreja Sede: culto de quarta-feira da vitória

 Coral Soldadinhos de Cristo: Congregação do bairro André


Inauguração da Igreja em Lagoão
Incarregado: Pr. Marcelo


Escala do Coral Adoração e Louvor em Gramado



Marcha para Jesus: união de todas as igreja evangélicas de São Leopoldo





segunda-feira, 24 de outubro de 2011

sábado, 15 de outubro de 2011

Dia do professor


Por:  Vilma Gomes ( Superintendente do Departamento Infantil)

        Ser professor é estimular e facilitar a busca incessante do conhecimento, construindo com seus alunos a capacidade de aprender.  Ele cria um ambiente de constante expectativa do atraente e da curiosidade. Aproveita, também, todas as oportunidade para aprender, pois "o saber não ocupa lugar". Quando ama o que faz, é entusiasmado, vibrante e contagia a todos.
Ser professor é um dom maravilhoso.
        Deus abençoe.



O maior professor de todos é Jesus!


terça-feira, 4 de outubro de 2011

As lições dos barreiros

Por: Maria Ionara Viera

Muitas vezes nos vemos em situações estressantes e aborrecedoras em nosso dia a dia e chegamos a pensar em jogar tudo para o alto e desistir de lutar quando as coisas não dão certo.
Acordamos, “engolimos” um café, saímos correndo para um trabalho que muitas vezes está muito aquém do que almejamos profissionalmente, estudamos, deixamos filhos, família, amigos...tudo porque queremos correr atrás de uma vida melhor, que na verdade se torna cada dia mais distante de nós porque deixamos de vivê-la para corrermos atrás dela! E a vida passa com o tempo... e o tempo voa!
Às vezes Deus nos dá sinais de que estamos nos excedendo e nos esquecendo até mesmo do quanto Ele nos ama. Assentada na varanda da casa de minha mãe, comecei a observar um casal de João de barro, que numa parceria indiscutível construía sua casa no alto de um poste da rede elétrica do outro lado da rua. Dias de frio, vento, inverno... e lá estavam eles carregando barro no seu bico e construindo sua casa com a esperança de agasalhar os filhotes que nasceriam dos ovinhos que a fêmea estava prestes a depositar no ninho, tão logo ele ficasse pronto.
Achei lindo e admirei muitas vezes numa mesma tarde: o casal ia e voltava até sua construção, carregando a palha e o barro, na intenção de se proteger e agasalhar a família que estavam formando.
Não obstante aos esforços do lindo casal, quis a natureza provar a persistência e a paciência dos barreirinhos que tão empenhados e esperançosos construíam sua casa. A chuva forte destruiu a casa já construída quase inteira. Minha mãe, meu pai e eu, lamentamos por eles, tamanho esforço que os pequenos tinham dispensado até ali. Para nossa surpresa, ao primeiro dia de sol, lá estava o casal de barreiros, voando com a palha e o barro no biquinho para começar tudo novamente. Cantarolavam. Era como se nos dissessem que a vida não era feita apenas de começos, meios e fins, mas também de recomeços, ainda que os “meios” e os “fins” fossem incertos. Esta foi à primeira lição.
Construíram novamente a casa nos dias que se seguiram, do início até quase o seu acabamento, quando o clima virou e a chuva torrencial destruiu tudo novamente. Nesta ocasião a comoção tomou conta de todos nós e chegamos à conclusão de que aquele era o fim para qualquer vestígio de esperança daquele casal de João de Barro.
Tamanha foi nossa admiração quando o sol voltou a brilhar e o casal nos deu mais uma lição de persistência e determinação. Com seus biquinhos cheios de barro e palhas, subiam até o alto do poste construindo sua casa e o seu canto parecia nos dizer que se tentarmos uma vez e não der certo devemos tentar outra e se ainda não der certo, não devemos desistir, mas acreditar que a vida vale a pena. Esta foi à segunda lição.
A época da mamãe pôr os ovos estava chegando e a casa precisava estar pronta para que ela pudesse chocá-los e esperar os filhotes que deles nasceriam.
Desequilíbrio ambiental causado pelo homem, leis da natureza, permissão de Deus para nos ensinar mais uma lição, use o entendimento que melhor lhe parecer, para aceitar ao fato de que novamente aquele casal de pássaros trabalharam em vão! Sim. Novamente sua casa foi desmanchada pela água que, sem piedade levou ao chão todo o esforço dos incansáveis passarinhos.
Bastante tristes por acharmos que desta vez nada mais faria sentido na vida daqueles bichinhos, passamos a imaginar que a fêmea desistiria de desempenhar o papel de mãe  protetora, abandonando seus ovinhos em qualquer lugar e que estes seriam comidos por outros animais e assim o ciclo da vida daquele lindo casal não se completaria. Quão pequena é nossa fé!
Dias após, os pássaros voltaram, sobrevoaram o local onde tantas vezes tentaram construir sua casa, sobrevoaram os arredores e, com a certeza de que a vida ainda valia a pena, talvez em sua esperança de pássaros começaram a conversar, arquitetando a construção da casa novamente. Foi quando em cima de um “moerão” avistaram uma linda casa desocupada por outro casal de “barreiros”, que Deus poupara das mãos dos meninos travessos da rua e deixara de presente a eles, na hora certa e no momento certo.
Certamente satisfeitos e agradecidos, deram alguns “toques pessoais” na sua moradia e ali a fêmea está chocando atualmente seus ovinhos, aconchegando-os ao seu peito e nos ensinando que a persistência e a esperança não devem deixar de fazer parte da vida. São para a nossa alma como o oxigênio é para o nosso corpo.
Deus nos dá sinais como estes, para que possamos rever nossas atitudes de desânimo e falta de fé. Muitas vezes nos lamentamos por muito menos do que ficarmos ao relento como aqueles pássaros ficaram tantas vezes e até murmuramos de Deus por ter nos “abandonado”, quando na verdade Ele está apenas nos dizendo para sermos totalmente dependentes dEle, que Ele cuidará de nós e dos nossos problemas da melhor forma possível, na hora e no momento certo, tão somente assim como o casal de João de Barro, não venhamos desistir diante das dificuldades que enfrentamos.
Jesus não deseja que aceitemos a derrota e a pobreza nas nossas vidas, ao mesmo tempo que nos instrui a jamais darmos mais importância ao que temos ou conquistamos do que ao amor que sentimos por Ele e ao desejo de estarmos um dia com Ele.
Os barreiros construíram sua casa e naquele momento ela era tudo o que possuíam, no entanto, veio a chuva e destruiu todo o seu projeto, sem contudo fazer com que eles perdessem o foco. Eles tinham esperança e persistência e isto os impulsionou a não desistirem nunca dos seus sonhos!
Assim como Deus cuida das aves e das flores do campo, Ele cuidará de cada um de nós. (Mateus 6.19-21) Sejamos incansáveis como o casal de pássaros da minha história. Mantemos a esperança e a determinação que existe dentro de cada ser criado por Deus e tenhamos a convicção de que o nosso socorro virá da parte de Deus, na hora e no momento certo!